sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

A menina que roubava livros, de Markus Zusak

Foto da capa A menina que roubava livros.
Excluviso do blog.
Título Original:
The Book Thief
Autor:
Markus Zusak
Origem:
Austrália
Tradução:
Vera Ribeiro
Editora:
Intrínseca
Ano:
2006


Outro dia, eu estava conversando com meu irmão sobre livros (e eu desconfio que ele me ache uma alienígena por ter metade da sua idade, mas a mesma capacidade intelectual dele kkkk é brincadeira. Ele é bem mais inteligente do que eu! Um pouquinho... kkkk) quando ele me disse que acabara de ler A menina que roubava livros. Eu já tinha lido fazia alguns anos, mas, naquele momento, a história inteira passou pela minha cabeça e eu resolvi colocá-la aqui hoje.

Liesel, uma menina de nove anos, está em um trem com sua mãe e seu irmão mais novo, viajando para Monique para ser entregue para seus novos pais, porém seu irmão teve “um intenso acesso de tosse [...] E , logo depois – nada”. Liesel dormia quando a Morte a viu pela primeira vez. A menina sonhava com o Führer, mas acordou no exato momento em que a Morte chegou para levar seu irmão. De algum modo implícito no livro, a menina sabia quem estava ao seu lado.
Depois do enterro de seu irmão em algum lugar esquecido pelo mundo, Liesel viu um dos coveiros perder um livro, O Manual do Coveiro, e aquele seria seu primeiro furto de “uma carreira brilhante”, como a própria Morte dissera.
Continuando a viagem, a mãe de Liesel entregou-a a um casal, moradores da Rua Himmel: Hans e Rosa Hubermann, o primeiro um pintor desempregado, com um coração tão bondoso que somente é comparado à rabugice de sua esposa. Aquela seria a última vez que Liesel veria a mãe biológica.
A partir daquele momento, a Rua Himmel seria o novo lar de Liesel. Lá, ela conheceria Rudy Steiner, seu melhor amigo de cabelos de limão. Companheiros de encrencas, os dois se meteriam nas piores enrascadas que duas crianças de dez anos poderiam se meter, mas também viveriam um amor invejável de duas almas.
Seria também na Rua Himmel que apareceria Max, um judeo tentando se salvar do nazismo. Seu pai e Hans eram grandes amigos de infância e, quando a guerra começou a dar os primeiros sinais de sua existência, Max procurou abrigo na casa dos Hubermann. Permaneceu escondido no porão da casa, porém contou com a compaixão e amizade de Liesel, que talvez até tenham lhe salvado de uma antiga amiga da menina: a Morte.
E uma última peça importante para Liesel era a mulher do prefeito. Uma mulher amarga, triste, que perdera o completo sentido de sua existência. A perda de seu filho levara Ilsa Hermann a um constante estado de pesar, porém, com o surgimento de Liesel, uma vida voltou dentro dela.
A Morte acompanhou Liesel por toda a sua vida, por mais que seu trabalho tenha sido dobredo com a guerra. Acompanhou o crescimento e amadurecimento da menina e como ela tornou-se bem mais hábil em roubar livros. E quando finalmente se encontraram, era quase como se já fossem amigas.
Este livro tem um jeito muito diferente de contar a história. Há sempre algumas notas da narradora no meio do texto, o que quebra a tensão e a chatice, deixando a leitura muito rápida e nada cansativa. Foi algo bem interessante, mas, como era bem mais nova e não tão mentalmente desenvolvida (rs), achei loucura.
Era nova demais para entender toda a profundidade e o pensamento da história. Mas mesmo assim, não deixei de aproveitar. Aprendi alguns valores com aquele livro e senti uma grande inveja de Liesel pelos amigos que ela fez mesmo durante um período tão triste de sua vida. 
Mas o que realmente me encantou foi a escolha da narradora. O autor, Markus Zusak, foi muito criativo com sua escolha e, em minha opinião, soube colocá-la na história sem parecer artificial ou sem estar muito humanizada. Ela era simplesmente... Ela. Gosto deste livro, quero lê-lo novamente, mas não agora: tenho vários na frente e a história está fresca demais na minha cabeça.

4 comentários:

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Lindo Gabi! Amo esse livro! Eu sou o mensageiro tá na minha estante, só esperando uma brechinha...Mas também vou reler este em breve.

Beijos!

Mikaelly Sampaio disse...

Queria muito ler esse livro, e depois dessa descrição com certeza vou já na livraria. Adorei seu blog tava mesmo procurando um blog que falasse sobre livros. Bjs

Gabi Castro disse...

Olá Mikaelly! Seja bem-vinda ao "Abrindo os livros..."! Espero que goste! Bjo

Milena Denig disse...

EU SIMPLESMENTE AMEEEEI ESSE LIVRO! Acho trágico o que acontece com Liesel depois, mas é bem chocante... Eu comecei a ler esse livro duas vezes e não me interessei pelas primeiras páginas, então na terceira tentativa, quando sempre começava a ler do começo, me interessei de verdade, e não parei, esse é um ótimo livro para se ler de novo e de novo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...