domingo, 20 de maio de 2012

A Fúria dos Reis, de George R.R. Martin


Capa "A Fúria dos Reis"
Título Original:
A clash of kings
Autor(a):
George R.R. Martin
Origem:
EUA
Tradução:
Jorge Candeias
Editora:
Leya
Ano:
2011



Um cometa da cor do sangue e fogo atravessa o céu. E a partir da cidade antiga de Dragonstone às margens proibidas de Winterfell, reina o caos. Seis nações lutam pelo controle de uma terra dividida e pelo Trono de Ferro dos Sete Reinos, preparando-se para o embate através de tumulto, confusão e guerra. É um conto em que irmãos conspiram contra irmão e os mortos se levantam no meio da noite. Neste lugar uma princesa se disfarça como um garoto órfão, um cavaleiro espiritual prepara um veneno para uma feiticeira traidora, e homens selvagens descem das Montanhas da Lua para devastar o campo de batalha. Com um pano de fundo de incesto, alquimia e assassinato, a vitória pode chegar aos homens e mulheres possuidores do aço mais frio … e corações mais gelados. Quando há um confronto entre reis, toda a terra treme.

Assustadoramente, este segundo volume foi melhor que o primeiro (em minha opinião, claro), o que eu julgava impossível. Novos personagens ganharão voz e os que já eram P.O.V. vão estar ainda mais “irresistíveis” e surpreendes (ai Jon... *-*).
O primeiro e novo personagem a ganhar voz é Davos Seaworth, um ex-pirata aliado a Stannis Baratheon, irmão mais velho de Robert Baratheon – antigo rei de Westeros. Quando Robert lutava contra Aerys, o Rei Louco, Stannis foi sitiado em Pedra do Dragão. Porém, eis que aparece Davos, carregado de cebolas, que abastece a ilha e impede que Stannis morra de fome. Este episódio rende à Davos o apelido de Cavaleiro das Cebolas. Depois que Stannis vence a sua guerra, ele acolhe Davos, porém corta-lhe os dedos como punição pelos seus crimes de pirataria. Inacreditavelmente, isto só faz com que Davos fique ainda mais leal à Stannis. Agora, Davos é o principal conselheiro de Stannis nesta guerra que assola Westeros. Por ser o irmão mais velho de Robert, Stannis reclama o Trono de Ferro para si mesmo, assim como seu irmão mais novo Renly.
Stannis também contará em seu “conselho” com a mulher vermelha, Melisandre. Seguidora da nova religião do Deus Vermlho, R’hollor, Melisandre lembrou-me muito os inquisidores da Idade Média com sua intolerância às outras religiões e seu jeito macabro e misterioso de ser. Logo no prefácio, Melisandre mostra que chegou para aterrorizar que se coloca em seu caminho (pobre Meistre...). Ela guiará Stannis nesta batalha, dizendo que ele foi o cavaleiro escolhido por R’hollor para representá-Lo em Westeros. Não preciso dizer que eu não gosto dela não é? Aquela mulher é uma bruxa assustadora e ignorante (o que me irrita profundamente...). Ela não é P.O.V., mas é importante...
Além de Davos, quem também ganha voz é Theon Greyjoy. Em vários comentários sobre o livro que eu leio por ai (e eu leio muito sobre os livros d’As Crônicas), eu vi que Theon caiu no gosto popular... Eu não sei o que veem nele, porque eu, pessoalmente, odeio Theon com todas as minhas forças! Para mim, ele é um serzinho fútil e pervertido que não sabe o que quer da vida e que só faz cagada! Somente em uma parte eu fiquei solidarizada com ele: quando Theon finalmente volta para as Ilhas de Ferro com uma proposta do Rei do Norte Robb, ele tem uma grande decepção com seu pai que parece culpá-lo pela sua ausência. Além do seu pai, Theon também sofrerá nas mãos de Asha, sua irmã pretensiosa. Apesar de eu admirar muito a força e coragem de Asha, ela me irrita mais do que Theon com suas esnobações para cima do coitado... Se formos ver, os Greyjoy são uma família de problemáticos irritantes. Não gosto deles... Mas, tirando a minha opinião, os Greyjoy ganharão mais destaque neste livro.
Falando no Robb, vejamos como está Catelyn: na mesma. Continua sofrendo pela morte do marido, pela perda das filhas, pelo destino do seu filho mais velho, pela saudade dos mais novos... Porém, desta vez, Catelyn finalmente parece que vai se mexer para alguma coisa: como já sabemos, Renly Baratheon também está reivindicando o Trono de Ferro. Como o interesse de Robb Stark não é Westeros completo, mas só o Norte, ele irá propor através de sua mãe uma aliança. Catelyn então viajará até o acampamento de Renly, onde verá que ele fez um pacto com os Tyrell cansando-se com Margarye Tyrell, irmã do Sor Loras (o Cavaleiro das Flores). Neste volume, Margarye não será muito relevante, mas nos próximos... Bem, deixemos isso para outra postagem.
Nesta viagem, Catelyn conhecerá Brienne de Tarth, a Beleza. Ela é caracterizada como uma mulher feia e estranha, mas uma ótima cavaleira e espadachim. Quando Catelyn chega, uma luta entre ela e Sor Loras acaba de ser concluída, com Brienne saindo vencedora e pedindo como recompensa um lugar na guarda real de Renly. Não será exatamente neste momento, mas um laço de amizade e lealdade se formará entre Catelyn e Brienne, que será de grande importância para o resto da historia... Por isso, atenção nas duas.
E aproveitando que estamos falando dos Starks, vejamos como estão os pequenos lobos. Arya conseguiu fugir de Porto Real passando-se por um menino órfão com os novos recrutas da Guarda da Noite. O plano original seria que Arya ficasse em Winterfell no meio do caminho, porém alguns contratempos fizeram com que Arya tornasse prisioneira em Harrenhal. Mas Arya é esperta e tem amigos, como Gendry e o misterioso Jaqen H’ghar (fala sério: a Arya tem uma sorte do caramba! Dois bonitões numa tacada só!), que a ajudarão a voltar para casa... Ou naão.
Sansa continua na corte do Joffrey. Apesar de ela ser uma songa-monga, ela sofrerá horrores nas mãos daquele monstro loiro e sádico. Ela está levemente (bem levemente) mais esperta, mas ainda crê em histórias românticas e que seu príncipe encantado irá salvá-la... Será que esta tonta não enxerga que ela precisa se mover para sair de lá?
Bran, agora regente de Winterfell, se mostra mais esperto que sua irmã mais velha, porém ainda está com grandes problemas com sua nova condição paralítica e com seus sonhos. Entretanto, Bran não ficará mais sozinho: chegam ao castelo os irmãos Reed, Meera e Jojen, ainda mais misteriosos e suspeitos que Jaqen H’ghar. Eu sei que eles escondem alguma coisa de Bran, alguma história que renderá um ótimo capítulo... Mas deixando as suposições de lado, vamos falar sobre o que nos foi mostrado até agora: Jojen tem um poder muito estranho, que ele denomina sonhos verdes. É como se ele pudesse prever o futuro através de sonhos confusos. Jojen então ajudará Bran a entender quem é este corvo de três olhos que aparece nos sonhos do menino e os sonhos em que Bran se vê na forma de lobo... Aparentemente, estes sonhos são normais, mas segundo Bran, eles são nítidos demais para simples sonhos.
Não podemos esquecer também o meio Stark, Jon Snow. Ele agora está além da Muralha, atrás dos selvagens que estão se organizando “sob os estandartes” de Mance Rider, que se denomina o Rei-para-além-Muralha. Entretanto será nesta fase que Jon começará a se perguntar se fez a coisa certa ao entrar para a Patrulha... Ele também começará a sentir uma falta imensa de Winterfell e de sua família, principalmente de seu pai. Mas algumas coisas boas acontecerão com Jon... Ele finalmente conhecerá alguém que fará seu coração bater mais forte (não é o Sam).
 Mas vamos descer agora para um lugar mais quente: a corte de Joffrey. O moleque está pirando no Trono de Ferro: como se já não bastasse ele ser mimado e sádico, agora o poder subiu à sua cabeça e ele está fora de controle, até mesmo de sua mãe e de seu tio. Bem, nem preciso dizer que Tyrion está cadê vez melhor. Ele é disparado o melhor e mais inteligente personagem dos livros. Agora Mão do Rei, Tyrion usará toda a sua sagacidade para manter Joffrey no trono, apesar de não esconder a repulsa que sente do sobrinho. Ele está imperdível neste volume, mostrando que chegou para “botar ordem na casa” (apesar de isso ser impossível até mesmo para ele, já que todos, até mesmo a Rainha Regente Cersei, estão contra ele). Falando na Cersei, só um comentário: está mais bruxa que antes.
E por fim, a Mãe dos Dragões: Daenerys Targaryen, Primeira de Seu Nome, Nascida da Tormenta e blábláblá. Depois da morte do Drogo e de todas as traições, Dany seguirá com seu pequeno (e bota pequeno nisso) khalasar em busca de apoio para se reestruturar e de um exército para tomar o Trono de Ferro que é seu por direito. Após quase morrer ao atravessar um deserto, Dany encontra a grande e rica cidade de Qarth, onde conhecerá Xaro Xhoan Daxos, um comerciante rico que quer se casar com Dany só pelos dragões. Dany sabe que agora que a noticia do surgimento de dragões atrairá interesseiros e golpistas como abutres sobre carniça, por isso ela precisará usar toda a maturidade que ganhou para se livrar deles. Mas claro, ninguém consegue viver sozinho: Dany pode contar com Sor Jorah, que neste volume, começa a mostrar que esconde alguma coisa obscura... Eu sei o que é, mas nem pretendo contar. Rs
Perfeito? Não... Este volume foi quase perfeito. A única coisa que o impediu foi Robb não ter se tornado um P.O.V. Meu Deus! Ele é o rei do Norte! Ele merecia um pouco mais de destaque... Mas tirando este pequeno detalhe, A Fúria dos Reis é imperdível! Ele me surpreendeu, assustou, intrigou, emocionou, irritou, confundiu e “impacientou”. Quando o livro terminou, a primeira coisa que eu disse foi: “Quando sai o terceiro volume?”. George R.R. Martin é um gênio, é a única coisa que eu posso dizer dele. E ele deve tomar alguma água suspeita para conseguir criar uma trama tão... Tão... Maravilhosa. O único inconveniente é que ele demora demais para escrever. Pô, Martin! Acelera aí! RSS

9 comentários:

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Oi Gabi!

Ótima resenha, como sempre! Não sei se vc já leu, mas o terceiro é ainda mel;hor. Pra mim, o melhor dos 5.

Ainda bem que não é pelo Sma que o coraçãozinho do Snowy Goodness bate, né! ;D Mas ri com este comentário!

E se você não gosta do Theon, beleza, mas aviso que você pode mudar de opinião sobre ele mais pra frente. Você sabe que eu adoro ele, o que não impede de eu condenar suas ações, como todo mundo. Eu simplesmente entendo o personagem, é só. E como personagem, ele é um dos mais profundos que eu já vi. Fantástico, e Alfie Allen está dando show como Theon.

Concordo que Robb deveria te PDV, e que Martin escreve muito devagar. Depois que acabar a série, vou reler tudo pra controlar a sindrome de abstinência ;D

Beijos!

Fefa Rodrigues disse...

Gabi... concordo... o cara é bom mesmo... mas precisa terminar logo de escrever essa história!!! Senão a gente morre do coração!!

Gabi Castro disse...

Oi Fe's! Então... O que o Theon fez com Winterfell foi imperdoavel. Ele traiu o meu amado Robb! Nao sei oq ele pode fazer, mas tem que ser algo muito forte para eu reconsiderar a minha opinião sobre ele u.u Eu já li o terceiro e o quarto, e estou no aguardo ansioso pelo quinto!
Tomara que o Martin não demore... Pq a ideia de reler não rola... Minha lista está tão grande que, até chegar a vez deles, já saiu o sexto! XD kkkkkk

xoxo

Bibi

Fernanda disse...

Olá!
Primeira vez aqui, e estou amando tudo. Seu blog é lindo *-*
Parabens!
Estou seguindo, da uma passadinha pelo meu :)

http://blogimaginacaoliteraria.blogspot.com.br/

Gabi Castro disse...

Seja bem-vinda ao Abrindo os livros...! Espero que goste!
Já participo do seu blog, ele é muito bonito! Adorei! ^^

Michele B. disse...

oi Gabi
excelente resenha!!
quero muito ler esse livro, mas ele é tão grosso, que me desanima um pouco, pois tenho tantos livros para ler e sempre deixo os mais grossos por ultimo.
mas eu adoro o George, acredita que eu tenho o primeiro livro em ingles e autografado por ele, é muito legal! ganhei de um amigo dos Estados unidos.
http://lostgirlygirl.blogspot.com.br/

bjos

Gabi Castro disse...

Oi Michele!
É... Os livros as vezes desanimam um pouco pelo tamanho... Mas a historia vale muito a pena!
Ah! E vc ficaria chateada se eu contratasse um mercenario para ir até a sua casa roubar este livro autografado? kkkkkkkk XD
Bjo

Anônimo disse...

Oiii Gabi !!
Amei o seu pequeno-grande resumo do 2 livro. Eu tenho o primeiro e fiquei com preguiça de ler pelo fato de ele ser mt grosso mas estou acompanhando a serie. Devo concordar com vc se eu pudesse ja tinha eliminado o Teon da historia (odeio ele), principalmente depois do que ele fez com Winterfell e de ter traido seu melhor amigo. Meu personagem preferido é o Tyrion ele esta realmente imperdivel !!
Amo seu blog continue assim !!

Gabi Castro disse...

ANONIMO!! Vc voltou!! Se é que é o mesmo né? kkkkk
Eu tambem amo o Tyrion! Sem ele, os livros nao seriam os mesmos! E o Theon... Afff! Que o Deus da Tempestade o carregue! (este era o Diabo? kkkkk Já esqueci)!
Seja sempre muito bem-vindo aki!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...